Obras sem data

Berghe, Frits Van den

Frits Van den Berghe (3 de abril de 1883, Ghent - 23 de setembro de 1939, Ghent) foi um expressionista e pintor surrealista belga.
Seu pai era o bibliotecário da Universidade de Ghent. De 1898 a 1904, ele estudou na Academia Real de Belas Artes sob Jean Delvin. Em 1904, por recomendação de seu colega pintor, Alfons Dessenis (1874-1952), ele foi ficar na colônia de arte em Sint-Martens-Latem. Foi lá que conheceu Albert Servaes, Gustaaf De Smet e Constant Permeke. Juntos, eles estabeleceram o que veio a ser conhecido como a Escola Latemse da pintura expressionista. Ele também obteve o que provaria ser o apoio vitalício do jornalista e promotor de arte, Paul-Gustave van Hecke.

Em 1907 ele era casado e, pouco depois, tornou-se professor da Academia de Ghent. Alguns anos mais tarde, sua vida familiar e carreira artística foram perturbadas por um relacionamento com a atriz Stella van de Wiele (1887-1954). Em 1914, ele desistiu de sua posição e passou seis meses nos Estados Unidos.

Durante a Primeira Guerra Mundial, ele se tornou refugiado na Holanda. Ele, Stella e De Smet visitaram as colônias de arte em Amsterdã, Blaricum e Laren, onde ele ensinou brevemente. Sua obra também amadureceu e ficou sob a influência da psicanálise freudiana. Em 1922, depois de voltar para a Bélgica, ele viveu com De Smet e Permeke em Oostende. Depois disso, ele e De Smet se mudaram para o oeste da Flandres, buscando inspiração, e finalmente se estabeleceram em Afsnee em uma villa fornecida por Van Hecke.

Mais tarde, ele passou algum tempo em Bruxelas, mas a Grande Depressão virtualmente eliminou o mercado de qualquer tipo de arte moderna, então ele retornou a Ghent e tornou-se ilustrador do jornal socialista Vooruit (Forward). Ele trabalhou para eles até a sua morte. De 1937 a 1938, ele desenhou os painéis para uma história em quadrinhos escrita por Jean Ray. Durante seus últimos anos, ele pintou em um estilo surrealista, repleto de visões de sonhos e alucinações.

Grandes retrospectivas foram realizadas em 1962 (Bruxelas) e 1984 (Utrecht). No sexagésimo aniversário de sua morte, em 1999, uma grande exposição foi realizada em Oostende com, pela primeira vez, suas ilustrações. Sua pintura, "Zondag" (domingo), foi incluída na série alemã 1000 Meisterwerke e apareceu em um selo belga em 2001.

Dados sobre o Warburg

19524

5910

3851

© 1994-2019 CHAA – Centro de História da Arte e Arqueologia | CONTATO | SOBRE O SITE