Obras sem data

Clark, Larry

Larry (Lawrence Donald) Clark (Tulsa, 01 de janeiro de 1943) é um fotógrafo e diretor americano de cinema. Fotógrafo dos mais influentes dos anos setenta e oitenta, a sua primeira experiência cfoi como ajudante da mãe, que especializada em retratos de crianças. Frequentou a Escola de Arte Layton em Milwaukee, Wisconsin, e lutou no Vietnã. Seu primeiro livro de fotografias, Tulsa, publicado em 1971, reproduz fotos tiradas em três períodos distintos (1963, 1968, 1971) no ambiente de jovens viciados em Tulsa, Oklahoma, que vivem na fronteira, e muitas vezes para além dos limites da legalidade, grupo do qual Clark fez parte ativa até os anos sessenta (teve algumas estadias na prisão, uma por tentativa de homicídio). Nesta reportagem-diário, Clark limitou-se a viver a vida do grupo sem interferir e nunca separar-se da câmera, é por isso que essas fotos em preto e branco, muitas vezes brutais - com imagens de uso de agulhas hipodérmicas, violência, sexo explícito - mas sempre visualmente calbradíssimas, têm um sentido de verdade ausente de empresas similares. Tulsa, influenciou em grande parte não só fotografia americana, mas também o cinema, vindo diretamente citado como inspiração por cineastas como Martin Scorsese (Taxi Driver) e Gus Van Sant (Drugstore Cowboy). Os livros posteriores, em que Clark usa a cor (Teenage Lust , 1983, A Perfect Chilodhood , 1992) demonstram a atenção mais e mais pronunciada e, segundo alguns, mórbida, em relação à sexualidade dos adolescentes, explicitada pelas outras atividades de diretor de cinema que se torna atividade principal desde 1995 (Kids, de 1995, Another Day in Paradise, 1997, Bully, 2001, Teenage Caveman, 2002, Ken Park, de 2002 - uma ocasião de escândalo e ainda não exibido nos Estados Unidos -, Wassup Rockers, 2005 )

Dados sobre o Warburg

21060

6155

4448

© 1994-2020 CHAA – Centro de História da Arte e Arqueologia | CONTATO | SOBRE O SITE