Obras sem data

Realfonso, Tommaso, dito Masillo

Nápoles, 1677 circa, post 1743 Aluno favorito de Andrea Belvedere, que carinhosamente o chamava Masillo, Tommaso Realfonso (Nápoles circa 1677 - post 1743), já considerado por De Dominici \"pintor universal\" versado em todos os assuntos de natureza morta, foi recentemente re-avaliada pelos críticos, que viram em seu trabalho um revival de elementos da natureza morta, na melhor tradição do gênero, com inspiração de José Ruoppolo e Giovan Battista Recco. A formação de Realfonso ocorre no final do século no ateliê de Belvedere até 1694, quando o pintor mudou-se para Espanha e está documentada por uma série de pinturas de cultura mais antiga que retratam flores e frutas, especialmente uvas e cerejas, maçãs e peras quase todos rubricados e preservados no museu Duque de Martina e em algumas coleções privadas de Nápoles , onde às vezes aparecem até vegetais. Apesar do equilíbrio de composição derivada de Belvedere, todas essas imagens são diferentes das dos outros alunos e os muitos imitadores do mestre, partindo do gosto barroco dos \"fioranti\" ativos em Nápoles pelo corte estreito e o compartimentar suave, bom indicador para o precocidade dos modos de retomada da pintura do século XVII, o que é claramente manifestado nas décadas seguintes. Extraído da Scena Illustrata sul Web http://www.scenaillustrata.com/public/spip.php?article790 Responsável: Jorge Coli

Dados sobre o Warburg

20258

6136

4027

© 1994-2020 CHAA – Centro de História da Arte e Arqueologia | CONTATO | SOBRE O SITE