Obras sem data

Cairo, Francesco del

Pintor italiano (c. 1598, Varese, - 1665, Milão)

Pintor italiano. Ele é conhecido por seu caráter pessoal, um tanto neurótico, retratista mulheres santas desfalecendo e heroínas.

Ele nasceu em Varese, em torno de 1598; estudos recentes confirmam que ele foi batizado na igreja de Santo Stefano em Broglio em 1607. Não se sabe onde acontece sua formação inicial, mas ele certamente foi influenciado por Giovanni Battista Crespi, Tanzio da Varallo, Guido Reni, e Bernardo Strozzi. Estabelecido como pintor da corte de Vittorio Amadeo I de Turim. Em 1633 com 27 anos de idade Cairo foi feito Cavaleiro da Ordem dos Santos Laurazo e Maurizio em 1634. No ano seguinte ele tinha sido premiado com mil escudos de ouro como um salário anual. Entre 1637-1638, Cairo viajou para Roma, onde encontrou as obras de Pietro da Cortona, Guido Reni e dos Caravaggisti.

Em 1641 e 1642 Cairo estava em Varese, enquanto 1643 e 1644 em Milão, evidentemente afastado de seus patronos . Depois disso ele voltou para Turim, onde foi enobrecido em 1646 e dado um castelo. Em Milão, 1650, passou seu tempo cumprindo comissões de igrejas tão distantes como Veneza e Piacenza para retábulos. Na melhor delas, o retrato imaginativo do Cairo de visões de santos em êxtases.

Entre os melhores retábulos existentes de Cairo é a Virgem e o Menino Aparecendo a Santo Antônio de Pádua datado de 1650, Piacenza, Chiesa di Santa Teresa Parrochiale e Sant'Alessandro. Sua luz derretida, carne lindamente pintada, e composição econômica são todas as indicações de que no seu melhor Cairo foi um pintor de talento excepcional. Mais próximo em espírito às suas heroínas melodramáticas são as suas várias versões de Cristo no Monte das Oliveiras. Foi durante seus anos em Turim que Cairo aperfeiçoou o tipo de desmaio de heroínas quase erótico sobre o qual sua presente fama descansa. Estas visões sedutoras mais tarde se tornaria uma especialidade de Guido Cagnacci, na corte austríaca.

Extraído do WGA

Dados sobre o Warburg

22079

6155

4872

© 1994-2021 CHAA – Centro de História da Arte e Arqueologia | CONTATO | SOBRE O SITE