Obras sem data

Greuze, Jean-Baptiste

1725-1805, pintor francês.

Fez grande sucesso no Salon de 1755 com a obra Pai Lendo a Bíblia a seus filhos (Louvre, Paris) e granjeou enorme popularidade com cenas de gênero igualmente melodramáticas e sentimentais. Sua obra foi elogiado por Diderot como 'a moralidade em tintas', e representaria, segundo a concepção do crítico, o maior ideal de pintura da época. Greuze também quis a fama na pintura histórica, mas sua Sétimo Severo Repreendendo Caracala (Louvre, 1769) foi recusada pelo Salon, causando-lhe grande constrangimento. Grande parte da obra tardia de Greuze consistiu em atraentes pinturas de jovens garotas, contendo alusões sexuais veladas sob um manto de insípida inocência; O jarro quabrado (Louvre), por exemplo, alude à perda da virgindade. Com a eclosão da voga neoclássica, suas pinturas perderam os favores do público; cp, a Revolução de 1789 Greuze mergulhou na obscuridade. Já no final da carreira, foi contratado para pintar um retrato de Napoleão, mas morreu na pobreza. Sua enorme produção está particularmente bem representda no Louvre, na Coleção Wallace em Londres, no Musée Fabre em Montpellier e no museu dedicado ao pintor em Tournus, sua cidade nata.
Extraído do dicionário Oxford de arte.

Dados sobre o Warburg

20234

6136

4010

© 1994-2020 CHAA – Centro de História da Arte e Arqueologia | CONTATO | SOBRE O SITE